4 de agosto de 2015

A felicidade ilusória nas redes sociais




Você já deve ter percebido que quanto mais tempo passa conferindo as redes sociais, a impressão de que a vida alheia parece ser mais interessante que a sua é maior. Cientistas da Universidade do Missouri, nos Estados Unidos, entrevistaram mais de 700 universitários e descobriram que parte daqueles que cuidam da vida alheia através do Facebook apresentam sintomas de depressão. Isto explica o aumento dos casos da doença nos últimos anos, como decorrência da utilização das tecnologias para compartilhar a felicidade, a dois cliques de distância, o que te faz pensar que você é a única pessoa no mundo que vê o céu cinzento. A verdade é que a grande maioria, da qual possivelmente você faz parte, procura mostrar apenas o lado bom da vida, as melhores selfies, check-ins em locais populares e fotos de viagens de encher os olhos. Entretanto, a vida de todo mundo não é um "mar de rosas" que você está habituado a ver. Existe um lado B, que você não conhece, ou pelo menos, prefere não enxergar toda vez que se depara com a sua timeline. Como diz o ditado popular: "Nem tudo que reluz é ouro". Ou seja, nem tudo é o que parece ser. Às vezes, as pessoas não são tão felizes quanto parecem na realidade, porque se mascaram de sorrisos para fazer sua própria propaganda. O mundo virtual pode fantasiar o mundo real.

Enquanto você está em casa, no trabalho, na escola ou na faculdade, ou talvez em lugares não muito legais, lá estão os seus amigos, na praia, de férias, nos melhores cassinos em Las Vegas. Aí o primeiro pensamento que passa pela sua cabeça, na maioria das vezes, é: "Por que não sou eu que está lá?". Pode ser ciúmes, inveja branca, preta, com 50 tons de cinza, se é que esse sentimento negativo tem cor, mas lá está você, questionando e se sentindo vítima do mundo. A grama do vizinho até pode ser mais verde, mas isso não é motivo para você não cuidar do que é seu e se empenhar em progredir. Seus amigos nas redes sociais podem viajar mais que você, também podem visitar lugares mais legais e até ser os mais populares, mas não se esqueça que todos partilham dos mesmos medos e inseguranças. Da mesma forma que o outro é, faz e acontece, não fique incomodado com isso, caia na real: você também é capaz. Talvez este não seja o momento certo, todos nós temos nossos problemas, altos e baixos, mas vai chegar sua vez.

Algumas vezes os internautas podem acabar desenvolvendo um complexo de inferioridade: sentimento de insuficiência, o que faz com que a pessoa se sinta um fracasso nas mais diversas áreas da vida e tenha uma autoestima baixa. Isto acontece quando alguém se coloca para baixo mesmo não tendo um motivo concreto. Todo mundo é capaz, todos têm algo de bom para oferecer. Seus princípios e valores te fazem ser uma pessoa única e especial, portanto, tenha consciência de seu valor pessoal. Evite comparações, pare de tentar ser como os outros, não caia na auto sabotagem, valorize suas conquistas, não fique reforçando pensamentos negativos a respeito de si mesmo. Se você está comendo um cachorro quente na lanchonete da esquina, enquanto seu amigo está tomando um café em Londres, celebre! Se você está assistindo televisão final de semana na casa dos avós, enquanto seu amigo está em uma balada na Espanha, sorria! A síndrome da inveja faz mal. Sua felicidade não depende apenas de coisas materiais, visíveis ou palpáveis, mas sim de sua forma de ver e estar no mundo. Felicidade é um sentimento, apenas sinta. O resto é mera ilusão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Parceiros