17 de maio de 2016

Quando nossos caminhos se cruzaram

Sabe aquele texto sobre relacionamento que parece que foi feito exatamente para você? Essa é a sensação de quem se depara com os textos de Juliana Camargo Alves, 22, que atua como cabeleireira, mas leva todo o jeito para a área da Comunicação. A jovem se divide entre a tesoura e o lápis de escrever, o que ela faz desde a infância com muito amor. E haja amor: não faltam desilusões amorosas dignas de serem escritas. Sem nenhuma pretensão de aparecer, Juliana assina pelo pseudônimo de Ana Júlia em uma página que acumula mais de três mil curtidas no Facebook. Confira essa crônica que ela escreveu com exclusividade para o blog:

QUANDO NOSSOS CAMINHOS SE CRUZARAM


Ele ainda não sabe porque ela foi embora. Um dia ela simplesmente acordou mais cedo, arrumou suas coisas e saiu, saiu pela porta da frente, sem barulho, sem vestígios, nem bilhete. Ele ainda não entendeu onde ele errou ou o que fez para que ela partisse. Ele estava lá, dando a ela todo amor que tinha, de peito aberto. Entregue e vulnerável. Acordar e não vê-la mais ali, foi um dos golpes mais fortes que a vida lhe deu. Ele não sabe os motivos dela, nem imagina o que teria acontecido. Em meio a uma lembrança e outra, só pensava que a culpa era dele. Pobre rapaz. A culpa não fui sua. A culpa não foi dela também. Ela pode parecer uma mulher, mas é só uma menina que deseja o mundo. E o mundo dela não estava na cama ao seu lado. Ela só queria liberdade, viver o que precisava viver, seguir o sonho e se encontrar. Talvez ela tenha te amado. Talvez tenha só curtido o momento. Mas ela queria muito mais e às vezes precisamos buscar certas coisas sozinhos. E olha rapaz, a vida está repleta de amor pra ti. O amor que ela não te deu, alguém vai te dar. Talvez tenha doído bastante, mas já está passando, não está? E como tu nunca vai esquecer dela, ao menos quando lembrar, lembre com carinho. Não como a moça que te deixou, mas a moça pra quem tu deu teu melhor sentimento. Não faça isso por ela, mas faça por ti. Ela pode ter o mundo, mas esse mesmo mundo, também é teu!

Fonte: Juliana Alves.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Parceiros